ITNJ- Cursos livres teológicos. Dísciplinas compostas de conhecimentos bíblicos e sobre vários temas históricos e atuais. Cursos presenciais e a distância informações pelo instnj@hotmail.com

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O DOM MINISTERIAL DE MESTRE

   O termo mestre, como aparece em EFÉSIOS 4:11. significa literalmente ensinador. O próprio termo implica ensinar segundo os processos e métodos didáticos, apelando para as faculdades lógicas da mente, da razão.
   Deus usa a mente do mestre. O mestre bíblico ocupa-se da doutrina, do ensino bíblico, portanto, necessita dos dons da ciência e da sabedoria. Outro detalhe sobre esse ministério é que ele é, biblicamente falando, itinerante como o de evangelista.
   É importante explicar aqui a má compreensão de 1a. JOÃO 3:20, 27, quanto ao ministério do mestre. Esses textos dizem: "E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo (...). É a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis".
   A explicação da suposta dificuldade está no versículo 26: "Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam". O que João está querendo dizer é que o crente não precisa dos que ensinam doutrinas extrabíblicas. Esse "alguém que vos ensine" trata-se "dos que vos enganam".
   A Bíblia é, acima de tudo, um livro de doutrinas que precisa ser estudado, compreendido e exposto a unção do Espírito Santo.
   Por doutrina bíblica entende-se o ensino bíblico sistematizado. Nenhuma doutrina aparece sistematizada na Bíblia, isto é, organizada, desdobrada, esboçada. Nem aparece isolada em um só lugar. Essa sistematização procede da classificação e conceituação do ensino ou princípio bíblico. Quanto mais completa for essa sistematização, mais completo será o estudo dessa doutrina.
   O mestre deve aprofundar-se nas ciências bíblicas, exegese e hermenêutica, sem jamais deixar de depender do Espírito Santo para capacitá-lo e dirigí-lo no preparo de estudos e sermões, e na exposição da Palavra.
   Não se conhece entre nós muitas igrejas que sustentam os mestres para exercício do ministério de ensino, assim como sustentam seus pastores, se bem que todo pastor também deve ensinar pela natureza do seus cargo.
   O resultado disso é crise, pobreza e problemas na área do ensino da Palavra.

   A minha oração diária é: "Deus, multiplique o número de mestres no meio da Sua igreja".

   Fiquem na paz de Jesus,

   Pr. Dalmo Dourado - ITNJ

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O DOM MINISTERIAL DE PASTOR

   O verdadeiro pastorado é um dom de Deus para ser exercido, e não primeiramente um cargo para ser ocupado. O pastor pode também vir a ocupar o cargo de presidente da igreja. Se realmente o Senhor lhe concedeu o dom ministerial de pastor, e ele também for colocado por Deus para presidir a igreja, o seu ministério vem do DOM e o seu cargo através da sua eleição.
   As atividades do pastor englobam as funções de pastoreio, pregador, mestre, administrador e conselheiro.
   Como pastor, entende-se que esse ministério é um cargo ligado às ovelhas. O termo pastor, no original, significa aquele que cuida e guarda as ovelhas. Esse é o ministério que está mais relacionado a elas. O profeta "traz" Deus ao povo; o pastor "leva" o povo a Deus (ÊXODO 19:17).
   A função do pastor, como ministério recebido de Deus, compreende:

a) Dirigir, presidir e administrar o rebanho do Senhor: Sem isso, as ovelhas se desviarão.

b) Doutrinar: Para isso, o pastor precisa ser um estudante dedicado da Palavra de Deus, especialmente no que concerne à Teologia Sistemática. Um grande segredo do progresso no ministério pastoral está em doutrinar. Aqui, é preciso cuidado para não instituir "doutrinas de homens" (COLOSSENSES 2:22). O pastor, pela natureza do seu trabalho, está muito ligado ao ensino bíblico (ATOS 21:15 à 17).

c) Proteger: Se o pastor não fizer essa parte, muitas ovelhas cairão vítimas de todo tipo de males.

d) Tratar das ovelhas: Muitas caem doentes espiritualmente.

e) Alimentar as ovelhas: Uma ovelha faminta segue qualquer outro lider, além de outros males que lhe atingem.

f) Visitar: É outra função, exercida diretamente ou através de comissões.

g) Disciplinar: O termo disciplina envolve primeiramente o sentido de instrução, admoestação e correção, e não o de castigo e punição. para fazer tudo isso, o pastor precisa estar sempre cheio do amor de Deus pelas ovelhas, pelos perdidos, pelos fracos e faltosos, por todos.

   Como pregador, entende-se que o ministério pastoral também está ligado aos pecadores. Pregar é um encargo do pastor relacionado aos pecadores. Como mestre, compreende-se que o ministério pastoral inclui o encargo de educador, doutrinador e ensinador. Como administrador, o pastor tem o encargo de dirigir e presidir. Como conselheiro, um encargo de ordem pessoal.

   Um exemplo de pastor nas páginas do Novo Testamento é Tiago (ATOS 15:13 e 21:18). Diz á tradição que seus joelhos eram calejados como os de um camelo, de tanto orar ajoelhado.
   As necessidades do pastor estão bem resumidas em JEREMIAS 3:15 "E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com ciência e inteligência". Jesus foi o maior exemplo de pastor. Sobre esse seu ministério, Isaías profetizou: "Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço; as que amamentam, Ele guiará mansamente" (ISAÍAS 40:11). 

   Jesus afirmou: "Eu sou o bom pastor: o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas" (JOÃO 10:11).

   Depois dessa explanação, você ainda quer ser um pastor?

   Deus abençoe a todos. Fiquem na paz de Jesus.

   Pr. Dalmo Dourado - ITNJ 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

DEUS É FIÉL

NAUM 01:07 "O Senhor Deus é bom, é fortaleza na hora da angústia e conhece os que confiam Nele".

   Hoje é um dia feliz para mim... cheguei ao ápice de uma batalha e a concretização de um sonho.
   Sonhar com Deus, é ter a certeza de uma grande realização.
   Agradeço ao meu Deus por me abençoar e permitir que eu
tenha a oportunidade de estudar mais um pouquinho.

   Para todos que nos acompanham na caminhada, realizei minha matrícula e já sou um dos mais novos ACADÊMICOS DE ENGENHARIA FLORESTAL da Universidade Federal do Pampa no Campus de São Gabriel-RS.

   No mês de Dezembro/2011... quando estava pregando na cidade de Dom Pedrito... fui levado a proferir uma mensagem profética para mim mesmo, na qual, Deus me impulcionava a dizer ao povo que eu conseguiria uma vaga no curso de Engenharia no qual estava pleiteando a referida vaga... Deus é Fiél e a mensagem profética está cumprida.
  
   Quero com muita humildade dizer a todos os meus irmãos e amigos... Deus se preciso for, levantar-se-á do seu trono para cumprir em nós as suas promessas.
   Não desanimem nunca... sigam em frente... lutar é possível... vencer batalhas é só para os valentes.

   Um forte abraço a todos que oram e torcem por nós... estamos nas mãos de Deus e somos muito mais do que vencedores através Daquele que nos ama (O NOSSO BOM DEUS).

   Fiquem na paz de Jesus,

   Pr. Dalmo Dourado

domingo, 5 de fevereiro de 2012

O DOM MINISTERIAL DE EVANGELISTA

   O vocábulo evangelista significa no original mensagem de boas novas. O autêntico ministro evangelista, chamado por Deus e colocado por Ele no ministério, não deve exercer o apostolado. Seu ministério deve ser itinerante. É só atentarmos para Felipe em Atos 8, principalmente para o último versículo: "E Felipe se achou em Azoto, e, indo passando, anunciava o Evangelho em todas as cidades, até que chegou a Cesaréia". 
   O professor da Escola Bíblica tem a visão de uma classe de alunos; o pastor tem a visão de sua congregação, seu campo de trabalho; o evangelista tem a visão regional e mundial. Sua paixão é o mundo para Cristo!
   A mensagem do evangelista é "Vinde ao Senhor"; a do profeta é "Permanecei no Senhor". Veja o exemplo de Barnabé como profeta: "O qual, quando chegou, e viu a graça de Deus, se alegrou, e exortou a todos a que permanecessem no Senhor com propósito do coração" (Atos 11:23).
   Em síntese, as diferenças entre profeta, evangelista e mestre são as seguintes: O profeta move o coração, a consciência do povo. Ele apela ao sentimento. O evangelista leva o povo a uma decisão diante de Deus. Ele apela à vontade. O mestre intrui o povo, a congregação, no caminho do Senhor, na Palavra de Deus, na doutrina bíblica. Ele apela à mente. Deus pode conceder a um mesmo ministro mais de um ministério ou dom ministerial.
   O evangelista não deve ser um obreiro neófito, como o ministério de evangelista fosse um início de "carreira". Veja o exemplo de Felipe mais uma vez. Em Atos 8:5 á 8 e 13 à 40, no começo de seu ministério, o encontramos em pleno exercício. Em Atos 21:8, encontramos Felipe em plena atividade ainda.
   O evangelista deve ter um conhecimento sistemático das doutrinas da Bíblia, especialmente aquelas ligadas ao exercício do seu ministério. Algumas das doutrinas e ensinos que o evangelista precisa conhecer são a doutrina da salvação, que por sua vez abrange em si um grupo de doutrinas; a doutrina da fé, o discipulado cristão, começando com a integração dos novos convertidos; milagres, sinais e prodígios, como em Atos 2:22; o batismo no Espírito Santo; e os dons e o fruto do Espírito. Ele também deve estudar muito homilética, exegese e hermenêutica. Tanto o profeta como o evangelista, como mensageiros de Deus, usam muito a imaginação. Jeremias e Ezequiel são exemplos. Jeremias com o cinto (Jeremias 13) e Ezequiel com o tijolo e a panela (Ezequiel 4:1 e 24:3).
   O tema principal do evangelista é a salvação dos perdidos e a volta dos desviados. Ele também promove o avivamento espiritual dos crentes. Onde não vemos nada da Bíblia sobre Salvação, o evangelista vê pelo Espírito, e ali prega! Para ele, parece que a Bíblia só contém a mensagem da Salvação. É interessante como o ministério evangelístico e a música são tão relacionados.
   O autêntico ministério de evangelista é concedido por Jesus, nunca imposto pelos homens. Pelo fato de certos "evangelistas" não terem esse ministério, os tais usam malabarismos, trejeitos, mecanismo, emocionalismo e até truques diante do povo. Se bem que pode haver muito disso em um evangelista imaturo.
   Paulo também era evangelista (1a. Coríntios 1:17). Até a inscrição de uma placa serviu de tema de sermão para ele (Atos 17:23 "Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais não o conhecendo é o que eu vos anuncio").

   Faça uma reflexão... você pode ser um(a) evangelista????

   Deus os abençoe.

   Pr. Dalmo Dourado - ITNJ
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...